qui. fev 29th, 2024

Mestre José, conhecido como o vidente dos famosos saiu em defesa de Mãe Michelly após massacre na internet

Mãe Michely da Cigana, uma mãe de Santo do Rio Grande do Sul, acabou ganhando os noticiários e foi massacrada nas redes sociais, logo depois de um vídeo da fachada de sua casa viralizar na internet.
Em novembro do ano passado, Michelly da Cigana, líder de um templo religioso em Alvorada (RS), colocou uma estátua de Belzebu no muro de sua casa. Mas só agora um vídeo da fachada com a imagem do demônio, que tem corpo humano, asas e cabeça de bode causou um alvoroço na internet.

O espiritualista e vidente Mestre José, dono de um templo religioso em São Gabriel, também no Rio Grande do Sul, onde abriga mais de 1000 pessoas em suas reuniões semanais e conhecido como o “Vidente Bíblia”, por ser um dos únicos que usa as escrituras sagradas como referência em seu trabalho, chocou ao público que assistia uma de suas lives diárias em seu canal do YouTube, ao sair em defesa da colega de profissão que ostenta a imagem do demônio na entrada de sua casa.

No vídeo, o espiritualista parabeniza a mãe de santo pela coragem que ela teve ao reverenciar a suposta imagem de satanás. Mestre José, achou corajosa a atitude de Michelly que se diz grata a tudo que já recebeu da entidade – como ela chama – , e para ele que não cultua nenhuma religião específica, a gratidão aquilo ou aquele que te fez o bem, é a chave para alcançar as graças desejada.
Procuramos o vidente Mestre José para entender se ele tinha mudado de opinião, já que defende em suas palestras e reuniões às escrituras sagradas.
“Quando temos algum direcionamento espiritual, nos tornamos gratos por toda a graça recebida, e devemos sim cultuar aquilo que mais nos faz bem. Eu não sou satanista e não pratico essa fé, meu posicionamento não é de julgar quem pratica determinadas fé ou religiões, no meu trabalho, no meu templo, sou guiado pela palavra de Deus e é óbvio que tenho meus mentores espirituais a quem me dedico, mas isso não significa que não posso admirar o feito de um pai ou mãe de santo ou de um pastor, por exemplo”, disse o vidente.

“Coloquei a imagem no muro como uma espécie de adoração a Belzebu, o Maioral, uma divindade que cultuo há nove anos. Para dizer que não tenho vergonha da minha fé” — explicou. — “Acredito que nossa religião precisa ser desmistificada. Alguma voz pra dizer que (a quimbanda) não é uma religião das trevas”. Disse Michelly.
“É essa devoção que aplaudo a qualquer um, principalmente a essa mulher corajosa, que não se deixou intimidar pelo o que iam dizer ou pensar dela e de seu trabalho”, concluiu mestre José.