dom. abr 14th, 2024

O cinema brasileiro tem uma longa e rica história, produzindo algumas das melhores obras cinematográficas do mundo. Aqui estão os 10 melhores filmes brasileiros de todos os tempos, selecionados por críticos e especialistas em cinema:

  1. “Deus e o Diabo na Terra do Sol” (1964), de Glauber Rocha – um clássico do cinema novo brasileiro, que retrata a saga de um casal de retirantes nordestinos em busca de justiça e liberdade.
  2. “O Pagador de Promessas” (1962), de Anselmo Duarte – o primeiro e único filme brasileiro a vencer a Palma de Ouro em Cannes, que conta a história de um homem que prometeu uma igreja a São Sebastião em troca da cura de seu burro doente.
  3. “Terra em Transe” (1967), de Glauber Rocha – um retrato visionário e profético da política brasileira, que apresenta uma trama complexa e acompanhou sobre um jornalista envolvido em intrigas políticas.
  4. “Central do Brasil” (1998), de Walter Salles – um dos filmes mais aclamados da “retomada” do cinema brasileiro nos anos 90, que conta a história de uma ex-professora que escreve cartas para pessoas analfabetas na estação de trem Central do Brasil, no Rio de Janeiro.
  5. “Cidade de Deus” (2002), de Fernando Meirelles – um filme que se tornou um fenômeno mundial, retratando a vida em uma favela do Rio de Janeiro e os dramas de jovens envolvidos com o tráfico de drogas.
  6. “Limite” (1931), de Mário Peixoto – um dos filmes mais icônicos do cinema brasileiro, que retrata três personagens em um barco à deriva, em uma narrativa fragmentada e poética.
  7. “Vidas Secas” (1963), de Nelson Pereira dos Santos – uma adaptação do romance homônimo de Graciliano Ramos, que retrata a luta pela sobrevivência de uma família de retirantes nordestinos.
  8. “O Som ao Redor” (2012), de Kleber Mendonça Filho – um filme que discute as tensões sociais em um bairro de classe média no Recife, em uma narrativa que mescla suspense e drama.
  9. “O Homem que Virou Suco” (1980), de João Batista de Andrade – um filme que retrata a história de um operário que perde o emprego e se torna um “artista popular”, criticando a exploração do trabalho e da cultura popular no Brasil .
  10. “Pixote: A Lei do Mais Fraco” (1981), de Hector Babenco – um retrato doloroso e realista da vida de crianças e adolescentes marginalizados em São Paulo, que se envolvem em crimes e violência.

Esses filmes representam apenas uma amostra da riqueza e diversidade do cinema brasileiro, que continua a produzir obras de grande qualidade e impacto.

Fonte: agenciarede.com