seg. jul 22nd, 2024

 

As unidades de saúde do SUS continuam mobilizadas em todo o Brasil para a vacinação contra a gripe. Agora, todas as pessoas com mais de 6 meses de idade podem se vacinar. Segundo o Ministério da Saúde, a vacina é essencial para salvar vidas e prevenir milhões de casos graves e óbitos causados pelo vírus da influenza.

Eder Gatti, diretor do Departamento do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, destaca a importância da vacinação. “A vacina é importante porque diminui o risco de infecção. Ela também reduz significativamente o risco de formas graves da doença e de hospitalização, resultando na diminuição do número de mortes pela doença.”

O Ministério da Saúde enfatiza a proteção dos grupos vulneráveis a complicações da gripe, especialmente durante as estações frias, quando há maior possibilidade de aumento da incidência da doença. Esses grupos incluem gestantes, puérperas, idosos, crianças menores de cinco anos e pessoas com comorbidades.

Atualmente, a cobertura vacinal desse público nas regiões Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste é de 42%, com quase 37 milhões de doses aplicadas até agora. Maciel Júnior, de 28 anos, do Gama, no Distrito Federal, faz parte do grupo prioritário e já tomou a vacina contra a gripe este ano. “Sou imunodeprimido, então faço parte de um grupo de risco, o que torna o acesso à vacina até mais fácil, porque nós, dos grupos prioritários, temos preferência para tomar a vacina. Acredito que, para mim, tomar a vacina seja ainda mais crucial. É muito importante nos imunizarmos para nos proteger de doenças graves, como a gripe, e ajudar a reduzir a propagação do vírus, auxiliando na imunidade coletiva.”

O Ministério da Saúde incentiva todos a fazer parte do Movimento Nacional Pela Vacinação e dizer sim à vacina contra a gripe. Procure uma Unidade Básica de Saúde com a caderneta de vacinação ou documento com foto para se vacinar.

Para mais informações, acesse: www.gov.br/vacinacao.

Fiocruz alerta para aumento nas internações por infecções respiratórias

A Fiocruz emitiu um alerta sobre o aumento contínuo dos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no Brasil. Apesar de um sinal de queda recente no número de casos, a atenção permanece alta devido à gravidade das infecções respiratórias.

By